Acidente com a delegação da Chapecoense tem 71 mortes e seis sobreviventes, confirma autoridade colombiana

29/11/2016 - 20:41

Rafael Ruiz

Na madrugada desta terça-feira, um avião que transportava a delegação da Chapecoense, além de jornalistas, caiu em Cerro Gordo, a 50 quilômetros do local que deveria ter pousado, no Aeroporto José María Córdova, na cidade de Medellín, na Colômbia. Após as buscar por sobreviventes e a retirada dos corpos, a Unidade Nacional para o Gerenciamento de Risco de desastres (UNGRD) confirma 71 mortes e seis pessoas que resistiram a queda.

A equipe de Santa Catarina iria disputar a final da Copa Sul-Americana, no Estádio Atanazio Giradot, considerada a partida mais importante da história da Associação Chapecoense de Futebol, que foi fundada em 1973.

O voo da empresa Lamia, da Bolívia, levava nove tripulantes, além de 68 passageiros. Entre eles eram 22 jornalistas da Rede Globo, Fox Sports, RBS e algumas rádios.

Entre os sobreviventes, estão o jornalista Rafael Hensel, da rádio Oeste Capital, além dos jogadores Alan Luciano Rushel, Jackson Ragnar Follman e Hélio Hermito Zampier Neto. O técnico da aeronave Erwin Tumiri e a auxliar de voo Ximenez Suárez também resistiram a queda.

O goleiro titular da Chapecoense, Danilo Padilha, foi resgatado com vida. Mas não resistiu aos ferimentos e faleceu no hospital. A informação foi confirmada por um porta-voz do clube catarinense.

CCFnas redes sociais